AS MISSÕES CIRÚRGICAS 

Os programas humanitários da Operação Sorriso têm como principais objetivos devolver o sorriso, a dignidade e a autoestima dos nossos pacientes, além de integrá-los à sociedade. As nossas operações são dedicadas a crianças, jovens e adultos com fissuras faciais.

As missões duram, em média, uma semana. No primeiro dia acontece a triagem dos pacientes. No dia seguinte é montado o centro cirúrgico, onde acontecerão as operações nos próximos três a cinco dias, de acordo com a demanda e a disponibilidade do hospital parceiro.

Após o término das missões, os pacientes recebem o acompanhamento pós-operatório durante um ano e são orientados a continuar outros tratamentos complementares, quando necessário. Confira abaixo todos os passos do nosso atendimento.

TRIAGEM

Os pacientes passam por consultas individuais com uma equipe de voluntários formada por profissionais de nove especialidades, todos credenciados junto à nossa organização e aos órgãos nacionais competentes da área da saúde.

Em 2019, a Operação Sorriso realizou três missões: Mossoró (Rio Grande do Norte), Porto Velho (Rondônia) e Santarém (Pará). Ao todo, 189 profissionais atuaram como voluntários, sendo responsáveis por 2.903 consultas médicas para 417 pacientes triados, sendo que 170 cirurgias foram realizadas.

Para atuar como voluntário, o profissional passa treinamentos e avaliações, que também são dedicadas a residentes. Para saber mais sobre os nossos programas educacionais para profissionais da saúde, clique aqui.

SELEÇÃO DOS PACIENTES E CIRURGIA

Após a triagem, uma junta médica faz a seleção dos pacientes que serão operados, com base em critérios pré-definidos. Aqueles selecionados para a cirurgia são avisados com antecedência para que seja feita a internação nos dias e horários específicos.

O tempo de internação é curto: os paciente são internados em um dia, operados no outro e recebem alta na manhã seguinte. Os que não são operados recebem todas as orientações sobre o motivo pelo qual não foram selecionados para a cirurgia, além da indicação de quais tratamentos devem realizar naquele momento.

Muitos pacientes e suas famílias viajam horas e até dias atravessando cidades e Estados para participar dos nossos programas. Para acomodá-los, mantemos parcerias com organizações socialmente responsáveis que disponibilizam alojamento gratuito para os que residem fora do município e que não têm onde se hospedar na cidade da missão.

Todos os equipamentos e suprimentos médicos necessários para as cirurgias são levados pela própria Operação Sorriso. Seguimos os Padrões Globais de Cuidado (Global Standards of Care), que adotam diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS), para assegurar que cada paciente seja atendido com equipamentos, insumos, equipes médicas e procedimentos altamente qualificados, independentemente do país onde a missão acontece.

ATENDIMENTO PÓS-OPERATÓRIO

A Operação Sorriso reconhece que a necessidade do cuidado não para quando uma missão cirúrgica termina. Por isso, oferecemos um programa pós-operatório qualificado para acompanhar de perto a evolução plena das cirurgias.

Os pacientes operados são submetidos a três consultas pós-operatórias. O objetivo é avaliar o resultado da cirurgia, retirar os curativos e orientar as famílias em relação à necessidade de tratamentos complementares.

Essas consultas acontecem nos prazos de uma semana, seis meses e um ano após a realização da operação. O atendimento é realizado por nossos voluntários médicos credenciados em hospitais locais e parceiros da Operação Sorriso.

Os tratamentos complementares, quando necessários, são feitos na mesma cidade onde a missão aconteceu (sempre que disponível). A Operação Sorriso treina voluntários médicos e trabalha para estabelecer centros de atendimento locais para garantir a completa reabilitação dos nossos pacientes.

Para saber mais sobre os centros locais de tratamento continuado desenvolvidos pela Operação Sorriso, clique aqui.