OPERAÇÃO SORRISO OBTÉM SELO DOAR PELA SEGUNDA VEZ CONSECUTIVA

A ONG atingiu o conceito máximo (A+) na avaliação; prêmio visa garantir padrões verificáveis que auxiliem o processo de decisão de doadores

222.jpg

No dia 06 de maio, a Operação Sorriso recebeu, pelo segundo ano consecutivo, o Selo Doar, concedido pelo Instituto Doar. O Selo tem como foco incentivar, legitimar e destacar a transparência e o profissionalismo de organizações não-governamentais nacionais que se adequam aos Padrões de Gestão Profissional e Transparência (PGT).

O PGT foi desenvolvido a partir de uma ampla pesquisa de critérios usados por organismos nacionais e internacionais, além de ter se apoiado também na literatura especializada em avaliação de organizações sem fins lucrativos e de práticas de empresas receptoras e concessoras de recursos para fins sociais e ambientais.

O Selo Doar avalia 44 aspectos relacionados a cinco critérios das organizações: causa e estratégia de atuação, representação e responsabilidade, organização e gestão institucional, estratégia de financiamento, e transparência, prestação de contas e comunicação.

A Operação Sorriso foi aprovada com conceito máximo (A+), atestado por meio do Selo, e de um certificado, que pode ser verificado clicando aqui. O Selo vale por um ano e depois desse período, a organização precisa passar novamente por uma avaliação para renovar a certificação.

“Mais uma vez, nossas práticas são reconhecidas por uma organização que se propõe a dar aos doadores uma referência de profissionalismo e transparência. Estou certo que nosso patrocinadores vão corroborar com esta avalição,” disse Charles Rosenburst, diretor executivo da Operação Sorriso.

“Toda criança que nasce com deformidade facial é nossa responsabilidade. Se nós não cuidarmos dessa criança, não há nenhuma garantia de que outra pessoa o fará.”

- Kathy Magee, cofundadora e presidente da Operação Sorriso