Operação Sorriso supera meta e faz mais de 60 cirurgias gratuitas em Mossoró

Mais de 100 pacientes de 3 estados foram triados; 970 consultas médicas gratuitas foram oferecidas à população

mos1.jpg

A Operação Sorriso, maior organização médica voluntária do mundo, voltou ao Rio Grande do Norte na última semana pela terceira vez, quando 63 pacientes foram operados e 91 passaram por procedimentos cirúrgicos para correção de lábio leporino e fenda palatina. De 15 a 20 de janeiro, 108 pacientes foram triados e mais de 970 consultas médicas gratuitas foram realizadas. A meta da ONG era realizar 50 cirurgias nesse período.

“Recebemos pessoas de 45 cidades diferentes do estado, além de 2 pacientes da Paraíba e um de Pernambuco. Isso não seria possível sem o apoio da população e dos parceiros locais, além da intensa dedicação de todos os voluntários”, comemora Ana Stabel, diretora executiva da Operação Sorriso.

Paralelamente à missão, foram realizados cursos gratuitos voltados para estudantes e profissionais de fonoaudiologia, odontologia e enfermagem. Mais de 20 participantes assistiram à palestra das dentistas Beatriz Brunelli e Débora Yassuda com o tema “Odontologia e o paciente fissurado”, no Hospital Wilson Rosado.

A fonoaudióloga Midori Hanayama falou sobre o protocolo de avaliação na fissura labiopalatina e deu dicas para terapia de correção de fala a cerca de 25 profissionais no Thermas Hotel e Resort, enquanto a enfermeira Isabel Lisboa ministrou uma aula sobre cuidados com o bebê fissurado a aproximadamente 40 enfermeiras da Maternidade Almeida Castro.

“O investimento no treinamento de profissionais locais é crucial para que eles possam oferecer o tratamento complementar em suas comunidades e fazer com que a população dependa cada vez menos das missões humanitárias da Operação Sorriso”, completa a diretora da ONG.

O retorno à Mossoró só aconteceu devido ao apoio de empresas como a Voltalia, BNDES, Copel, Azul Linhas Aéreas, Johnson&Johnson, White Martins, Abbvie, Alfacomputer, Aumund, Bbraun, Bradesco Seguros, Associação Citi Esperança, Comerc, Comunicare Consultoria de Comunicação, Cristália, Day Pharma, DHL, Eu amo papelão, F/Nazca S&S, Hasbro, Icatu Seguros, Infobip, Kinoplex, LDS Church, Mundotraduz, Paris Filmes, Pepsico, Rastru, Rei do Malote, Rotary Club - Chácara Flora, Seteco, Schivartche Advogados, Way Models e Approach Comunicação.

O Albem (Albergue de Mossoró), Centro Clínico Prof. Vingt Un Rosado, Hospital Wilson Rosado, Secretaria Municipal de Educação, Secretaria Municipal de Saúde, Prefeitura Municipal de Mossoró, Associação Brasileira de Cirurgia Crânio-Maxilo-Facial (ABCCMF), Projeto Genoma e a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) também são parceiros da organização.

Sobre a Operação Sorriso

A Operação Sorriso é a maior organização médica voluntária do mundo. Reúne profissionais de 60 países para ajudar exclusivamente a pessoas nascidas com deformidades faciais, especialmente lábio leporino e fenda palatina. Em quase 35 anos de trabalho, já transformou a vida de mais de 240 mil crianças pelo mundo.

No Brasil, as ações tiveram início em 1997 e já foram realizados mais de 99 mil exames e avaliações especializadas e mais de 5,2 mil cirurgias em doze estados brasileiros.

Só em 2017, a organização realizou mais de 3,6 mil avaliações médicas e ultrapassou o número de 170 cirurgias. Tudo gratuitamente, devolvendo a dignidade, funcionalidade e autoestima para milhares de pacientes.

Para ajudar

Quem quiser ajudar pode fazer doações em dinheiro (que facilitam compras em grande quantidade): http://www.operacaosorriso.org.br/index.php/get-involved/doacao-financeira/

Doações para Operação Sorriso podem ser feitas direto em conta:

Associação Operação Sorriso do Brasil

CNPJ: 08.691.563/001-85

Banco Itaú – 341

Ag: 8729 C/C: 23082-4

Comunicar depósito através do e-mail: contato@operationsmile.org

Relatórios financeiros disponíveis no site (http://www.operacaosorriso.org.br/index.php/operacao-sorrisoquem-somos/financeiro/)

As empresas também podem apoiar a Operação Sorriso com recursos financeiros, humanos ou contribuições em espécie ou através de parcerias corporativas.

“Toda criança que nasce com deformidade facial é nossa responsabilidade. Se nós não cuidarmos dessa criança, não há nenhuma garantia de que outra pessoa o fará.”

- Kathy Magee, cofundadora e presidente da Operação Sorriso